Matérias

Nada de pequenos! Negócios voltados para o público infantil estão em expansão

Entretenimento e alimentação para crianças estão entre os segmentos mais aquecidos

Redação Sou BH - 10/10/18 as 10:22 - Atualizado em 11/10/18 as 10:26

Cenário de festa infantil cheio de balões
Foto: Divulgação/Molecada Kids

Especial publicitário – Este material é patrocinado*

O Dia das Crianças está chegando e, a essa altura, muitos pequenos já contaram o que querem ganhar para os pais. Eles, por sua vez, quebram a cabeça tentando agradá-los dentro das possibilidades. No meio desse jogo, há uma outra parte bastante interessada em conquistar os dois públicos: o mercado de produtos e serviços kids. Promissor, o segmento infantil registra crescimento de 14% ao ano e movimenta R$ 50 bilhões.

De olho nesse mercado, o empresário Lucas Eduardo de Carvalho abriu, há três anos, o buffet Molecada Kids, em Belo Horizonte. Foi assim que ele realizou o sonho de empreender e trabalhar por conta própria. “Comecei fazendo eventos corporativos, mas o mercado foi me levando ao segmento infantil”, contou.

Mas ele não caiu de paraquedas nesse ramo: fez pesquisas de mercado e percebeu que, apesar da grande oferta de empresas, se adquirisse o próprio salão e se especializasse, conseguiria se destacar. Formado em Relações Públicas, ele fez cursos de mídias digitais para fortalecer a marca e criar uma boa reputação entre os clientes.

“O público para o ramo de buffets é muito exigente. Quando falamos que realizamos sonhos com o nosso trabalho, não estamos exagerando. Os pais e, principalmente, as mães, têm uma expectativa alta. Muitas chegam a planejar a festa de um ano do filho antes de tê-lo. Não se trata apenas de fazer uma festa, e sim de comemorar a vida da criança”, explica Lucas.

O empresário confirma o aquecimento do mercado de festas infantis nos últimos anos, o que ele credita à migração das famílias das casas para apartamentos. “Muita gente não tem mais espaço para fazer grandes festas na própria residência”, diz. A perspectiva dele é de crescer de 35 a 40% em 2019, em relação a 2018, e já está planejando estratégias para alavancar esse incremento e levar novidades aos clientes.

Sucesso nos negócios

Para quem quer começar a empreender no segmento infantil, a gerente da Unidade de Acesso a Mercados do Sebrae Minas, Vera Helena Lopes, aconselha uma boa pesquisa comportamental do público. Lembrando que, todo mercado, independentemente da faixa etária do consumidor, tem que ser segmentado. “Ninguém vende tudo para todo mundo. É preciso conhecer bem os clientes para os quais se oferece o produto ou serviço. Há que se levar em conta também o momento econômico, social e tecnológico atual, além da lógica de comportamento humano, que perpassa tudo isso.

Vera ressalta que as tendências de consumo das crianças seguem um contexto no qual estão inseridas. A moda, por exemplo, é cíclica, e os adultos, que são os compradores dos produtos, acabam acompanhando os próprios gostos nas aquisições. “O importante é se planejar e estudar os hábitos de consumo. Há muito mercado para o público infantil, especialmente para entretenimento e alimentação”, aponta.

*O conteúdo é de responsabilidade do anunciante

Outras Matérias