FecharX

Projetos oferecem sessões de cinema não convencionais

Em Belo Horizonte, cinema fica mais acessível para públicos específicos



Créditos da imagem: Divulgação
Main cinema sess%c3%b5esn%c3%a3oconvencionais 1 20140804223152
Cinematerna
Redação Sou BH
04/08/14 às 19:32
Atualizado em 18/02/19 às 10:57

Fonte de entretenimento popular, o cinema está cada vez mais acessível ao público de Belo Horizonte. Isso porque a capital conta com vários projetos que trabalham para diminuir a distância entre o apaixonado pela sétima arte e as telonas. São projetos como o Cinematerna, Chá no Cinema e Curta no Almoço, que atendem grupos de pessoas com necessidades específicas e que, mesmo podendo pagar pelo ingresso, deixaram de frequentar o cinema por algum motivo.

O Cinematerna, por exemplo, é um projeto de nível nacional apoiado em Belo Horizonte pela Cineart. Ele facilita a ida das mamães e seus bebês de até 18 meses ao cinema. Em uma sessão especial, com datas e horários pré-definidos, as salas do Boulevard Shopping são preparadas para recebê-las, de forma que não se perca nem o lazer e muito menos o conforto. A paulista Taís Viana, co-fundadora do Cinematerna, explica que percebeu a necessidade de um projeto assim quando sua filha nasceu. “Com a maternidade, diminui meu ritmo de trabalho e senti falta de ir ao cinema, uma atividade que eu fazia com frequência”, conta Viana.

Após conhecer outras mães e criarem um grupo de discussão pela internet, elas agendavam pequenas “invasões” em sessões no meio da tarde e assim conseguiam assistir aos filmes, acompanhadas dos filhos. Com o crescimento do grupo, o projeto começou a andar com as próprias pernas. “Nessa hora, pedimos autorização às redes de cinema para mudar as configurações das sessões e preparar as salas”, conta. As sessões do projeto preocupam-se com detalhes como luz diferenciada, som mais baixo, trocadores e estacionamento de carrinhos de bebês, entre outros. Além de BH, o Cinematerna atende mais 34 cidades, em 14 estados brasileiros.

A mostra Curta no almoço, que acontece sempre às sextas-feiras no Cine Humberto Mauro, também atende um público que ama cinema, mas não tem muita disponibilidade para ir. Localizado no Palácio das Artes, região central da cidade, a sala exibe curtas-metragens no horário de almoço. Dessa forma, pessoas que trabalham nos arredores do centro podem ir ao cinema no intervalo para descanso. As exibições são gratuitas e acontecem a partir de 13h15.

Márcio Antônio, de 38 anos, é vendedor e acha muito válida a iniciativa do projeto. “Em vez de ficar rodando pela cidade, podemos aproveitar melhor esse tempo de intervalo com cultura, entretenimento e informação”, comenta. Ele aprecia cada dia mais a variedade de opções culturais que Belo Horizonte oferece e brinca: “não tem aquela piada de que BH é a cidade dos bares? Pois é, também é a cidade da cultura”.

A administradora Tânia Torres, de 44 anos, também é frequentadora assídua das mostras do Cine Humberto Mauro e sempre aproveita os horários livres para curtir as sessões. “É ótimo poder vir e relaxar, principalmente na sexta-feira, que é quando começamos a pensar o fim de semana”, conta. Ela completa que adora a acessibilidade das mostras do local e assiste toda vez que tem disponibilidade.


Comentários